Capa » Jackson Barreto » Sergipe tem maior crescimento do Nordeste na geração de empregos em 2014

Sergipe tem maior crescimento do Nordeste na geração de empregos em 2014

No acumulado dos últimos doze meses, o destaque de Sergipe em nível nacional é ainda maior, tornando-se o estado em que o mercado de trabalho mais cresceu 5,04%, com 14.279 contratações 

sedetecAnálise realizada pelo Departamento Técnico da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), com base nos dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), aponta que em janeiro de 2014 Sergipe registrou o maior crescimento do setor de emprego do Nordeste e o terceiro do país, 0,39%, com o volume de 1.142 contratações. No acumulado dos últimos doze meses, o destaque de Sergipe em nível nacional é ainda maior, tornando-se o estado em que o mercado de trabalho mais cresceu 5,04%, com 14.279 contratações.

O setor da Construção Civil liderou o aumento do nível de emprego sergipano, com 844 admissões e uma variação positiva de 2,66%. Dentre as atividades do setor que mais destacaram, estão a construção de edifícios (565 admissões), informação de imóveis (103 admissões) e instalações elétricas (101 admissões). “Um dos fatores que favorecem tamanho crescimento é o clima quente e com poucas chuvas”, explica o economista da Sedetec e responsável pela análise, Magaiver Correia.

Devido às características da Construção Civil, Aracaju concentrou boa parte da geração de emprego no estado, 713 admissões. No interior, os municípios que mais geraram postos de trabalho foram: Nossa Senhora das Dores (184 admissões), Itabaiana (100 admissões), Lagarto (85 admissões) e Estância (61 admissões). Já os municípios que mais perderam postos de trabalho foram: Capela (88 demissões), São Cristóvão (44 demissões) e Maruim (25 demissões).

O setor de Serviços teve o segundo melhor desempenho, com 498 contratações (0,40%), impulsionadas pelos subeditores de: serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção, redação (175 admissões), comércio e administração de imóveis, valores mobiliários, serviços técnicos (171 admissões) e ensino (91 admissões). A Indústria de Transformação gerou 330 novos postos de trabalho e obteve a segunda melhor variação entre os setores (0,69%).

No referente aos ramos industriais, os que se destacaram foram a indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e perfumaria, com 170 admissões. Já a indústria mecânica, diante da retomada da produção de álcool, realizou 72 admissões, e a indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico, 56 admissões.

Os saldos negativos ficaram por conta do setor de Comércio que, em decorrência do término das contratações temporárias típicas do fim de ano, registrou um decréscimo de 316 postos a menos de trabalho (-0,49%); e da Agropecuária que teve a maior variação negativa, -1,22%, com 165 demissões a mais, por consequência da contração da atividade canavieira. Os setores de Administração Pública e Extrativismo Mineral registraram variações de -0,20% e 0,14%, respectivamente.

A política do Governo de Sergipe na atração de novos investimentos e no processo contínuo de acompanhamento dos projetos, já implantados, são fundamentais para a manutenção dos atuais empregos, bem como na geração de novos”, ressalta o secretário da Sedetec, Saumíneo Nascimento.

www.agencia.se.gov.br

Foto: Ascom/Sedetec

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


*