Capa » Ação 15 » “Queremos reforçar o atendimento aos pacientes com câncer em Sergipe”, diz Jackson

“Queremos reforçar o atendimento aos pacientes com câncer em Sergipe”, diz Jackson

Governador visitou clínica que ofertará serviços de radioterapia para pacientes do SUS e nova estrutura de oncologia do Huse

O governador Jackson Barreto reservou a manhã desta quinta-feira, 10, para verificar como andam os cuidados com a saúde dos sergipanos. Ao lado dos secretários da Saúde, Zezinho Sobral, da Comunicação, Sales Neto, da Infraestrutura, Walmor Barbosa e de técnicos do Estado, o governador fez uma verdadeira peregrinação a hospitais da capital e obras que estão em andamento para garantir um atendimento especializado para pacientes oncológicos de Sergipe.
O primeiro ponto de parada foi a obra da Clinradi, uma clínica particular de seis médicos que se juntaram para formar uma sociedade e oferecer serviços na área da oncologia, com tecnologia avançada. A sociedade médica é composta pelos oncologistas Dr. William Eduardo Nogueira Soares, Dr. Roberto Queiroz Gurgel, Dr. Nivaldo Farias Vieira, Dr. Aécio Costa Cavalcanti, Drª Karina Oliveira Ferreira, Dr. William Giovanni Panfiglio Soares. Eles explicaram como os serviços serão prestados para a população de baixa renda do estado, pagos pelo governo.

“Nós depositamos muita confiança na inauguração da Clinradi e o governo fará todos os esforços para fortalecer essa parceria. Porque a Clinradi chega em Sergipe em um momento crucial. Hoje, o grande problema da saúde é sentir o ruído da população mais pobre na área da oncologia e vocês da Clinradi vêm suprir essa necessidade da saúde para a população carente. Queremos reforçar o atendimento aos pacientes com câncer em Sergipe”, disse Jackson Barreto.

A parceria do governo de Sergipe com médicos foi anunciada em novembro do ano passado. O primeiro passo foi a viabilização da obra, junto ao Banco do Nordeste, com um financiamento para a implantação da unidade para tratamento de pacientes com câncer, especializada em radioterapia. Além dessa especialidade, a clínica também prestará serviços laboratoriais, clínicos, tomografia e outros atendimentos de complementação diagnóstica e terapêutica. As instalações obedecem a padrões arquitetônicos adequados aos pacientes oncológicos e terão as obras concluídas com previsão para o mês de julho deste ano. Os investimentos são da ordem de R$ 40 milhões, com financiamento de R$ 9.887.876,57 (recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, programa FNE Inovação – Serviços).

Serão dois equipamentos médicos de última geração que irão promover inovação e aprimoramento dos serviços médicos prestados. Um aparelho chamado Acelerador Linear, que é um dispositivo utilizado dentro do serviço de radioterapia, que tem como função emitir radiação (raios x de alta energia ou elétrons acelerados) utilizada em diversos tratamentos. E o equipamento de Braquiterapia, que é uma forma de radioterapia em que se coloca uma fonte de radiação dentro ou junto à área que necessita de tratamento. A Braquiterapia é utilizada normalmente como tratamento eficaz contra o câncer do colo do útero, da próstata, da pele, podendo também ser utilizada no tratamento de outros tumores e pode ser utilizada independentemente ou em combinação com outras terapêuticas, como a cirurgia, Radioterapia e Quimioterapia.

Complexo Regulatório

O governador visitou o Complexo Regulatório de Saúde de Sergipe, que é a central de inteligência do SUS aqui no estado, para saber como está o atendimento depois de doze meses de funcionamento.

O Complexo Regulatório é composto pelos Serviço de Tratamento Fora do Domicílio (TFD), Serviço Hospitalares (regulação de leitos de UTI, Central de Transplantes, Serviços Ambulatoriais, Serviço de Remoção Inter-hospitalar Assistida (SRHIA) e Central de Regulação das Urgências (Samu 192 Sergipe) e trouxe uma melhor logística e mais tecnologia com agilidade e qualidade na regulação e direcionamento dos serviços de Saúde, tanto para as equipes reguladoras quanto para os profissionais das unidades de saúde de urgência e emergência e, para os usuários.

De acordo com a coordenadora do Samu, Conceição Mendonça, são mais de sessenta profissionais do Samu trabalhando na regulação do atendimento no estado.

“A qualidade dos atendimentos é muito maior. Nós estamos monitorando por GPS todas as ambulâncias, equipes e tempo resposta dos atendimentos. Além de regular os atendimentos de rua, estamos regulando também as portas de entrada das urgências de Sergipe, o que permite uma garantia de acesso melhor qualificado aos pacientes atendidos pelo Samu”, explicou a coordenadora.

Com a ativação da Central, os leitos de internamento do SUS cadastrados são regulados. Quando há a identificação de uma demanda por leito de UTI, a central organiza o acesso de acordo com os Protocolos Clínicos e de Acesso instituído pelo Complexo Regulatório, seguindo as regras do SUS.

A ação da Central identifica a demanda e a organização do fluxo, trazendo mais agilidade e proporcionando o acesso por ordem de prioridade, contou o coordenador do local, Clóvis França. A central mudou o sistema de internamento nos leitos dos hospitais públicos de Sergipe.

“Aqui não tem jeitinho, nem bilhetinho de padrinho debaixo do braço. A regra é transparente e trouxe mais acesso para os pacientes aos leitos sem sobrecarregar o sistema. Antigamente, existia uma grande demanda judicial para ter acesso ao leito, mas, depois da central, em dez meses de funcionamento,  só tivemos uma liminar da justiça para alguém ter acesso ao internamento no leito de terapia intensiva no estado, mesmo assim, quando o documento chegou, o paciente já estava internado. A regra é definida clinicamente e o resultado disso é acesso a um maior número de pessoas aos leitos hospitalares do estado”, concluiu.

Hospital da Polícia Militar

O governador Jackson Barreto visitou ainda as instalações do Hospital da Polícia Militar para verificar como anda o serviço do HPM depois que o hospital passou a integrar a Rede Hospitalar de Urgência e Emergência de Sergipe, por meio de um convênio firmado com a Fundação Hospitalar de Saúde e o Ipesaúde.

Os atendimentos de emergência no HPM foram ampliados de 3 mil para 5 mil mensais, isso graças ao investimento em mais tecnologia com laboratórios, raio x, aparelhos de ultrassom e aumento no quadro de funcionários como médicos e enfermeiros. A consequência disso foi o aumento da resolutividade em 98% dos casos que chegam ao HPM. Segundo o presidente Ipesaúde, Christian Oliveira, isso significa uma melhor utilização dos recursos do estado, o que garante o acesso regular aos pacientes.

“São cem internamentos hospitalares por mês, dos 5 mil atendimentos que são feitos mensalmente. Desses cem pacientes internados, poucos são encaminhados para um hospital de alta complexidade”, explicou Cristian.

O número de cirurgias ortopédicas realizadas no HPM chegou a quase mil nos últimos seis meses. Esse trabalho de oferta cirurgias de segundo tempo para a demanda da rede é feito pela Secretaria de Estado da Saúde, através da Fundação Hospitalar de Saúde.

Em toda a estrutura são duas salas de centro cirúrgico e sala de recuperação pós-anestésica. A Fundação possui 20 leitos de internamento ativos, utilizados como retaguarda para a Rede Hospitalar. O Ipesaúde possui 12 leitos de observação, área de observação, dois leitos de estabilização e um leito de isolamento e o instituto já apresentou ao Comando da Polícia Militar para ampliação dos serviços com reforma da recepção e a instalação de pelo menos cinco Unidades de Terapia Intensiva.  Na área ambulatorial, o HPM realiza atendimentos de gastroenterologia, pediatria, ortopedia, cardiologia, odontologia, urologia, neurologia e cabeça e pescoço.

“Essa mudança foi feita para dar mais conforto ao usuário do Ipes e HPM. Lembrem como era emergência do Ipes e do HPM antes e como está hoje. Tudo isso foi feito para melhorar a vida da população de Sergipe”, disse o governador.

Huse

Por último, o governador seguiu para o Hospital de Urgência de Sergipe, onde caminhou pelos corredores e conversou com os pacientes. Foi informado pela superintendente, Lícia Diniz, que o trabalho realizado pela secretaria de Saúde tem surtido efeito no atendimento do maior hospital do estado. Um dos exemplos foi o grande número de tomografias realizadas no hospital no ano passado, passou dos 16 mil exames.

“O Huse perdeu demanda para os outros hospitais gerenciados pela Fundação Hospitalar de Saúde e hoje está concentrado, principalmente, no que é de direito: a alta complexidade”, informou a superintendente.

O Secretário da Saúde, Zezinho Sobral, disse que o Huse enfrenta um novo momento de construção de fluxo de protocolo de atendimento do paciente, de encaminhamento desse paciente com um apoio no Hospital da Polícia Militar, para o trauma e do Hospital Senhor dos Passos, em São Cristóvão, para a para a clínica médica, esse suporte está criando um fluxo maior.
O governador seguiu a visita pelo hospital na unidade de oncologia, viu a máquina de radiologia que já funciona há 17 anos e conversou com os profissionais da área.

“Essa área da oncologia é a de maior desafio da medicina, por quem eu tenho muito respeito e carinho. É preciso muito amor ao próximo” disse o governador aos médicos.

Segundo o secretário de Saúde, Zezinho Sobral, a radioterapia é um dos problemas mais sérios da sua pasta e disse caminhos são apontados para a solução definitiva desses problemas.

“Aumentamos o número de atendimentos com a manutenção preventiva do aparelho de radioterapia. Agora essa manutenção da radioterapia é mais eficiente em 297 atendimentos, isso no ano passado e vamos melhorar o fluxo ainda mais esse ano, reduzindo o tempo de quebra com um novo contrato de manutenção preventiva”, explicou o secretário.

O governador vistoriou as obras para construção para um novo bunker, espaço onde será instalado o novo acelerador linear do hospital. A construção do bunker e aquisição do novo acelerador se inserem no Plano de Expansão da Radioterapia no Sistema Único de Saúde (SUS). A partir da conclusão das obras, o Centro de Oncologia do Huse receberá mais um equipamento de radioterapia que irá somar ao atual aparelho 3D, instalado há mais de dezessete anos.

Ao longo dos últimos anos, o Governo do Estado já investiu mais de R$ 37,5 milhões em reformas e adequações no Huse, com recursos aplicados no Pronto Socorro, Centro Cirúrgico, unidade pediátrica e UTI.

 

 

Medium c8a67c5ad32ea8ddbb2f1cd80e302b84 Medium a0867da71732b4e39c9bd19927cd047f Medium 5d079230601106b248e65698af470fd3 Medium 13f0e24ee24af6499c412ab689f62a23 Medium 7f53c867360725f74122408ac6053078 Medium dc0d8ce6c8b71965d525aaf62ff0652f Medium 13c9880aca04d71fed6b520e98268a78 Medium 719d6d13b604183abcc910300b23154a Medium 57ace019e4dce32565cf167b87494789 Medium 6a730b5b82e5cfbb3c4bdbc492e89dfe Medium 2183d2f572f16001ae9e0625f875156e Medium deb4c42a12700478121aca49ccd047e9 Medium 85f4847070613820303f5dc00c28faba Medium c8a67c5ad32ea8ddbb2f1cd80e302b84 Medium a0867da71732b4e39c9bd19927cd047f Medium 5d079230601106b248e65698af470fd3 Medium 13f0e24ee24af6499c412ab689f62a23 Medium 7f53c867360725f74122408ac6053078 Medium dc0d8ce6c8b71965d525aaf62ff0652f

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


*