Capa » Jackson Barreto » Jackson destaca importância da Petrobras durante comemorações dos 50 anos da descoberta de petróleo em SE

Jackson destaca importância da Petrobras durante comemorações dos 50 anos da descoberta de petróleo em SE

jackson barreto pmdb sergipe aracaju 4 Um momento histórico para o desenvolvimento de Sergipe e do Brasil. Essa foi a definição utilizada pelo governador em exercício, Jackson Barreto, ao destacar a importância da celebração dos 50 anos da perfuração do primeiro poço de petróleo em Sergipe (ocorrida em 15 de agosto de 1963) que reuniu diversos dirigentes da Petrobras, alguns dos pioneiros que iniciaram o processo da extração do petróleo em terras sergipanas e autoridades. Os atos ocorreram no município de Carmópolis, a 45 km da capital.

Na ocasião, o governador, ao lado dos membros do Conselho Estadual de Cultura, assinou o decreto de tombamento do poço CP -1, localizado na fazenda Mercês, declarando-o de interesse público para fins de inscrição e tombamento ao Patrimônio Histórico e Artístico de Sergipe a preservação do antigo poço.

Importância Estratégica

Para Jackson Barreto, a solenidade relembra a importância de um marco histórico para o desenvolvimento de Sergipe, para o êxito da Petrobras e para a soberania nacional.

“Sinto-me feliz em participar deste ato, e tenho certeza de que o governador Marcelo Déda também estaria realizado por uma feliz coincidência: aqueles que deram a vida para a consolidação da Petrobras, os que foram às ruas na década de 1950 durante a campanha “O Petróleo é Nosso”, aqueles que como Monteiro Lobato acreditavam na existência do petróleo em nosso País e, sobretudo, o governador que estava no poder à época dessa descoberta, João de Seixas Dória, que também defendeu a criação da Petrobras, também tinha, como nós, seu compromisso irretocável com a democracia”, relembrou o governador em exercício.

Jackson Barreto também enfatizou a importância de todos os trabalhadores que se empenharam e dedicaram suas vidas ao trabalho envolvido na prospecção do petróleo. “Se esse País desenvolveu-se, tem uma economia sólida e é hoje respeitado no mundo, esse País deve à Petrobras, aos seus trabalhadores e ao povo brasileiro que defendeu e defende a atuação dessa empresa que é referência no mundo. Para nós, sergipanos, podemos dividir a história de Sergipe entre antes e depois da existência da empresa”, ressaltou.

O governador foi enfático ao reafirmar que acredita na empresa e sabe do seu significado para o povo brasileiro. “Precisamos reconhecer e expressar nosso amor a essa empresa, cada um da sua forma, mas sem deixar de reconhecer o papel histórico que ela tem. Não devemos nunca desvalorizar o trabalho dessa empresa, já que ela fez e faz a independência desse País”, reconheceu Jackson Barreto, ao destacar a importância das novas descobertas, do trabalho de ampliação da produção, além das diversas parcerias e convênios que a empresa desenvolve com o Governo do Estado.

Homenagem

O governador também se emocionou durante a homenagem prestada aos valorosos trabalhadores pioneiros que foram os responsáveis pela prospecção do primeiro poço, dentre os quais os técnicos José Francisco Barreto Sobral, Antônio Roriz Silva, Heronides Dias Barros, Ubirajara Mendes, Agab Vasconcelos e José Albuquerque Filho, que receberam uma medalha comemorativa cunhada pela Casa da Moeda do Brasil, das mãos do governador e dos dirigentes da empresa.

A prefeita de Carmópolis, Esmeralda Cruz externou a sua consideração pela importância para a evolução do município. “Estive afastada para tratamento de saúde, mas fiz questão de reassumir para prestigiar este ato, já que eu não poderia estar ausente deste momento histórico para Carmópolis, para Sergipe e para o Brasil”, argumentou a prefeita.

Ela também enfatizou que, graças aos royalties que o município recebia, cerca de R$ 1,5 milhão era investido em programas sociais, educação, infraestrutura urbana e outros serviços em prol da população. “Graças a esses recursos, conseguimos extinguir a miséria de Carmópolis, pois as famílias mais carentes recebem cestas básicas e participam de diversos programas que garantem a sua existência com dignidade. Estamos diante de um corte nesses recursos graças à uma ação da Agência Nacional de Petróleo que, temos certeza, ainda iremos reverter. Mas acreditamos que ainda há muito petróleo a ser explorado e promover benefícios para o povo de Carmópolis”, externou a prefeita.

Já o gerente Executivo de Exploração para o Norte e Nordeste, Mauro Roberto Mendes, que representou a presidente da empresa, Graça Foster, destacou a importância do trabalho dos pioneiros que utilizaram o melhor da técnica, à época, para deixar um legado para as demais gerações que se empenharam nesse trabalho.

“Graças ao empenho desses homens que eu tive a honra de apertar a mão, e de muitos outros, esse trabalho realizado em Sergipe fez escola e serviu de base para o trabalho realizado em diversas partes do País. Aqui também em Sergipe, a partir da descoberta do poço de Guaricema, no litoral sergipano, em 1968, também foram desenvolvidas técnicas que contribuíram com a produção na bacia de Campos, e o desenvolvimento da tecnologia que nos fez chegar até a identificação de petróleo no pré-sal”, enfatizou o gerente.

Patrimônio Cultural

Já a secretária de Estado da Cultura, Eloísa Galdino destacou a incorporação de mais um patrimônio que simboliza um marco na evolução econômica e social em Sergipe. “Aqui, estamos incorporando para o campo da cultura e da história mais um símbolo de uma mudança na formação da sociedade sergipana”, descreveu.

O Conselho Estadual de Cultura, ainda segundo Eloísa Galdino, e o Governo de Sergipe, ao reconhecer o primeiro poço de petróleo como patrimônio cultural está promovendo um diálogo entre um símbolo do desenvolvimento do Estado com um símbolo da história e trajetória de evolução econômica e industrial. “A produção e a exploração dos recursos minerais no estado de Sergipe têm um marco. E esse marco é justamente o início da exploração de petróleo, em terra, aqui na cidade de Carmópolis, que se tornou referência em Sergipe e no Brasil no que diz respeito à produção que marcou essa mudança econômica e na estrutura social em Sergipe”, complementou.

Prestigiaram os atos o gerente Geral de Exploração e Produção da Petrobras para Sergipe e Alagoas, Luiz Robério Ramos, o secretário de Estado da Casa Civil, Silvio Santos; o subsecretário do Patrimônio Artístico e Cultural de Sergipe, Luiz Alberto dos Santos; o subsecretário de Articulação com os Movimentos Sociais e Sindicais, João Francisco dos Santos e o presidente da Companhia de Desenvolvimento Industrial de Sergipe (Codise), Roberto Bispo, dentre outras autoridades, representantes do Poder Executivo e Legislativo, representantes de movimentos culturais apoiados pela empresa, técnicos e colaboradores da Petrobras.

Fonte: ASN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


*