Warning: Declaration of tie_mega_menu_walker::start_el(&$output, $item, $depth, $args) should be compatible with Walker_Nav_Menu::start_el(&$output, $item, $depth = 0, $args = Array, $id = 0) in /home/pmdbse/www/wp-content/themes/formulando/functions/theme-functions.php on line 1942
Jackson Barreto garante abastecimento de água com construção da adutora de Pedra Branca | PMDB-SE
Capa » Ação 15 » Jackson Barreto garante abastecimento de água com construção da adutora de Pedra Branca

Jackson Barreto garante abastecimento de água com construção da adutora de Pedra Branca

 

São R$ 16.499.908,85,  recursos do programa Águas de Sergipe, investidos para que aproximadamente um milhão de pessoas continuem recebendo água em suas casas

jacksonbarreto

 Foto- Victor Ribeiro/ASN

O governador Jackson Barreto proporcionou, na tarde desta sexta-feira, 09, a manutenção do abastecimento de água da Grande Aracaju. Ele assinou ordem de serviço para realização das obras de reconstrução da antiga ponte de Pedra Branca, entre os municípios de Laranjeiras e Maruim, e a recomposição do trecho original adutora do São Francisco. São R$ 16.499.908,85, recursos do programa Águas de Sergipe, investidos para que aproximadamente um milhão de pessoas continuem recebendo água em suas casas. As obras iniciarão na próxima segunda-feira, 12, e têm prazo de execução de 270 dias.

Apesar de o abastecimento da Grande Aracaju ocorrer normalmente, as obras são necessárias porque parte da adutora que transporta a água foi construída em estrutura provisória. A intervenção foi feita de forma emergencial em maio de 2015, ocasião em que ocorreu colapso da estrutura da ponte sobre o rio Sergipe no povoado Pedra Branca, no qual o suporte de passagem da água era sustentado. Com a queda, a adutora se rompeu e foi necessário utilizar uma ponte em construção pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para duplicação da BR-101, para abrigar a tubulação emergencial.

“Estamos oferecendo solução a um problema gravíssimo de abastecimento de água que ameaçava quase um milhão de habitantes da Grande Aracaju. Quero parabenizar a Deso e toda sua diretoria por, à época, agir com rapidez na solução do problema, e a todos que foram protagonistas dessa ação ágil do governo. Em cinco dias, colocamos a adutora para funcionar e para atender as carências da região. Hoje estamos aqui reunidos por conta da competência demonstrada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) e a sensibilidade de Olivier Chagas, junto a técnicos e assessores do programa Águas de Sergipe, na busca de recursos do Banco Mundial”, ressaltou Jackson Barreto, acrescentando que os recursos para a obra já estão em caixa.

As intervenções compreendem serviços de remoção dos escombros, sondagens, elaboração do projeto executivo das novas fundações, concepção do plano executivo e construção da nova ponte em arcos, respeitando a arquitetura da construção original, permitindo a passagem de pedestres, bicicletas e animais. A execução da obra é de responsabilidade da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso). Os recursos são provenientes de empréstimo firmado entre o Estado, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), e o Banco Mundial (BIRD). Foram investidos R$ 969.996 na aquisição de tubos para recomposição da adutora original.

O diretor-presidente da Deso, Carlos Melo, afirma que, com a licitação realizada, a partir da próxima semana a obra já pode ser iniciada. “Reconstruiremos a ponte, que terá suporte para duas adutoras, e passagem para pedestres, anseio da população que vive na região. Essa obra vai dar conforto e tranquilidade na garantia da regularidade do abastecimento de água. Apesar de todas as dificuldades, a somação de esforços de todas as secretarias fez com que chegássemos até aqui”, pontuou.

No dia em que ocorreu o acidente em Pedra Branca, o Banco Mundial estava realizando missão de supervisão em Sergipe referente ao Programa Águas de Sergipe (PAS). A equipe da instituição bancária foi convidada a comparecer ao local e presenciou o ocorrido. Consultado pela Semarh sobre a possibilidade de auxiliar na reconstrução do sistema adutor, o BIRD, tendo em vista a urgência do caso, assentiu, viabilizando a inclusão da obra no escopo do PAS.

O secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Olivier Chagas, comentou que, por Sergipe possuir boas relações com instituições externas, consegue viabilizar intervenções em benefício da população. “O Estado, apesar das dificuldades, tem capacidade para negociar com grandes instituições financeiras. Por conta de sua adimplência com compromissos, conseguiu-se, através do Águas de Sergipe, os recursos para reconstrução da ponte e da adutora. Desse modo, o governo mostra sua credibilidades junto aos grandes estabelecimentos financeiros”.

A adutora do São Francisco é responsável por 67,19% do volume produzido para o abastecimento do sistema integrado da Grande Aracaju. Ela contempla não só a capital sergipana, como os municípios de Barra dos Coqueiros, São Cristóvão, Nossa Senhora do Socorro e Malhada dos Bois.

Abastecimento de água

A obra de reconstrução da ponte e da adutora proporciona o transporte da água para a Grande Aracaju. Porém, para garantir que haja realmente o abastecimento, é necessário que a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) inicie a licitação das obras de dragagem [utilização de máquinas para escavar um canal para que a água possa chegar ao ponto de captação] do rio São Francisco na altura do município de Telha. A intervenção é pleiteada pelo Estado desde que o Governo Federal destinou R$ 10 milhões, via Codevasf, para intervenções no setor em Sergipe.

Durante a solenidade desta sexta, o governador solicitou novamente urgência a Codevasf no sentido de viabilizar a realização da obra de dragagem. “Agora nosso pensamento se volta para a área da adutora, na captação no município de Telha, pois, em função da baixa vazão do rio São Francisco, temos algumas dificuldades. Através do Governo Federal, e por meio da Codevasf, precisamos melhorar esse processo e deixar a Grande Aracaju livre da ameaça de falta de água”, enfatizou Jackson Barreto.

De acordo com o diretor presidente da Deso, toda documentação solicitada pela Codevasf já foi enviada e nesta sexta foi encaminhada a licença ambiental da obra. “Estamos muito preocupados com a burocracia do Governo Federal e até falei hoje com o diretor da Codevasf em Brasília. Já tínhamos mandado toda a documentação solicitada, e agora a Companhia tem que acelerar os passos para licitar a obra. O Governo do Estado já fez sua parte”.

Programa Águas de Sergipe

O Águas de Sergipe tem como finalidade a melhoria da qualidade da água da Bacia Hidrográfica do rio Sergipe. O programa tem mais de 80 ações previstas para serem realizadas. A coordenação é da Semarh e fazem parte da Companhia de Saneamento de Sergipe, Cohidro e Emdagro. O PAS resulta de contrato firmado entre Governo do Estado e Banco Mundial no valor de US$ 117,125,000.00 (US$ 70,275,000.00 são financiamento do BIRD e US$ 46.850.000 contrapartida do Estado aplicada em obras de esgotamento sanitário do PAC, em execução pela Deso).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

*