Capa » Ação 15 » Frente Parlamentar em defesa da Mulher quer instituir serviço de atendimento ao agressor

Frente Parlamentar em defesa da Mulher quer instituir serviço de atendimento ao agressor

whatsapp-image-2016-11-10-at-11-33-36
Incluir na rede de serviços e atendimento a mulher vítima de violência doméstica em Sergipe a assistência ao agressor. Essa é a intenção da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher que é presidida pela deputada estadual Goretti Reis (PMDB) e tem na sua composição mais 11 deputados. O assunto foi debatido na manhã dessa quinta-feira (10), na Assembleia Legislativa e contou com a participação de representantes do Tribunal de Justiça de Sergipe, da Ordem dos Advogados do Brasil e instituições que lutam para criar uma rede de assistência completa.
O trabalho começa com a realização de um seminário no início do próximo ano e tem o objetivo de ampliar a discussão em torno do enfrentamento no combate a violência contra a mulher capacitando profissionais para o atendimento ao homem que agride. “Vamos realizar um seminário para trazer à tona a discussão e tentar viabilizar o curso para capacitar mais de 300 profissionais que deverão compor a rede, iremos ajudar na implantação do serviço no Estado”, revelou a presidente da Frente Parlamentar Goretti Reis.
Para ela, é obrigação do Estado cumprir o que está previsto na Lei Maria da Penha, o tratamento e  o acompanhamo ao agressor é um dos artigos que precisa ser implantado em Sergipe. “O Tribunal de Justiça desenvolve um projeto em parceria com a coordenação de psicologia da Faculdade Estácio de Sergipe (FASE), que atende ao agressor, iniciativa louvável, mas é preciso que seja institucionalizado, que o estado ofereça o serviço a todos”, frisou.
Participou da reunião a presidente do Conselho Municipal da Mulher, a juíza Adélia Pessoa que acrescentou que nos estados onde já foi instituído o serviço o resultado é  positivo. “É preciso entender que o autor da agressão aprendeu desde infância que é normal bater na mulher, considerada “propriedade” dele. A partir do momento que ele começa a receber assistência, principalmente a psicológica, tende a mudar de comportamento, por isso a importância da assistência a ele também”, enfatizou.
Para ela, a Frente tem proporcionado uma articulação positiva em relação aos vários aspectos do combate a violência contra a mulher, falta apenas um eixo para tecer a rede completamente, que é exatamente o trabalho com o autor da agressão. “Desde que a Frente foi implantada temos avançado na luta em defesa da mulher e o apoio da deputada Goretti tem sido fundamental”, concluiu.
Foto: Ascom Parlamentar
Cristina Rochadel

Jornalista Diplomada DRT/SE 841

Assessora de Comunicação Parlamentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


*