Capa » Jackson Barreto » Estado e organismo internacional investem R$ 67 milhões no combate a pobreza rural

Estado e organismo internacional investem R$ 67 milhões no combate a pobreza rural

Programa Dom Távora beneficiará 15 municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano através do incentivo ao pequeno agricultor

governoEm janeiro, o projeto Dom Távora passa a ser executado em 15 municípios sergipanos, beneficiando 10 mil famílias. A data foi acertada durante reunião entre o secretário chefe da Casa Civil, José Macedo Sobral e o gerente de programas da América Latina do Fundo Internacional do Desenvolvimento Agricóla (Fida), Paolo Silveri, nesta quinta-feira, 11, no palácio dos Despachos.

Natural da Itália, Paolo Silveri disse que o crescimento econômico e social do Brasil é referência para outros países e destacou o pioneirismo do Projeto, que fomentará a agricultura familiar como negócio.

“O Brasil já não é o país de 20 anos atrás. Vocês tiveram um crescimento impressionante. Estamos aprendendo com as políticas públicas implantadas no país, que mudaram, em tão pouco tempo, a realidade social dos brasileiros. Terminado a parte burocrática, agora vamos mostrar resultados, justamente porque o Brasil é um sócio especial do Fida. O Fida tem um olhar especial para o país. Com esse projeto, Sergipe servirá de modelo para outras ações do Fundo”, disse.

O projeto Dom Távora foi assinado em agosto de 2013 pelo governador Jackson Barreto e prevê o investimento de R$ 67 milhões na erradicação da pobreza rural na região que apresenta menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de Sergipe. Desse total, R$ 37 milhões são do  Fida e  R$ 30 milhões de contrapartida do governo estadual. A estratégia prevê o apoio financeiro e suporte técnico para desenvolvimento de arranjos produtivos ligados à agricultura familiar, a exemplo de apicultura, avicultura caipira, aquicultura (piscicultura, carcinicultura e ostreicultura), além de fruticultura especial e agricultura irrigada. Outra vertente da ação também prevê apoio a iniciativas que envolvam produção de artesanato e turismo rural.

“Acreditamos que a partir de janeiro o projeto começa a ser executado. Levamos em consideração o contexto atual do estado e a prioridade do governo em atuar em áreas mais carentes, onde o índice de Desenvolvimento Humano é mais baixo. O Fida tem um trabalho de combate à pobreza rural e o Dom Távora busca justamente isso, combater a pobreza rural viabilizando a cadeia produtiva da agricultura familiar”, informou Hardi Vieira, oficial de programas do Fida.

Gerentes do Fida discutem ações do Dom Távora com os secretários da casa Civil, José Sobarl e da Agricultura, Francisco Dantas / Fotos: Victor Ribeiro/ASN  

Gerentes do Fida discutem ações do Dom Távora com os secretários da casa Civil, José Sobarl e da Agricultura, Francisco Dantas / Fotos: Victor Ribeiro/ASN

O secretário da Casa Civil, José Sobral lembrou que o projeto foi iniciado pelo ex-governador Marcelo Déda, que o apresentou aos diretores do Fida na Itália. O Dom Távora beneficiará cerca de 10 mil famílias de agricultores familiares, são cerca de 40 mil pessoas em 15 municípios de quatro territórios de desenvolvimento. O maior número de municípios está no Baixo São Francisco: Pacatuba, Brejo Grande, Ilha das Flores, Neópolis, Santana do São Francisco, Japoatã e Canhoba. Além desses serão beneficiados os municípios de Nossa Senhora Aparecida, Carira e Pinhão (Agreste Central); Tobias Barreto, Poço Verde e Simão Dias (Centro Sul), Gracho Cardoso e Aquidabã (Médio Sertão).

“Nós acreditamos muito nesse projeto, que começou a ser discutido com o governador Marcelo Déda. Ele foi a Roma defender a execução do projeto e apresentar nossas políticas de desenvolvimento agrário. A reunião de hoje é mais uma etapa do projeto Dom Távora que está sendo cumprida. Este é projeto importante e Sergipe é pioneiro nesse modelo de financiamento de agricultura familiar e pequenos produtores, cuja natureza é gerar 400 planos de negócios envolvendo esses agricultores, envolvendo o artesanato e turismo. O Projeto envolve as regiões de mais baixo IDH de Sergipe, vamos diminuir a pobreza gerando riqueza. Essa visita vem consolidar o trabalho”.

Coordenador do Programa em Sergipe, Eduardo Barreto explicou que o projeto terá quatro escritórios regionais, localizados nos municípios de Carira, Neópolis, Aquidabã e Poço Verde. De acordo com ele, está em execução a fase de compra de equipamentos e contratação de técnicos. Passada essa etapa, será realizada a apresentação do programa aos agricultores e prefeitos dos 15 municípios beneficiados.

“Essa é uma visita de cortesia, política e técnica, na qual o coordenador vem conversar e conferir o andamento do Projeto Dom Távora. Estamos no processo de aquisição de equipamentos e composição da equipe técnica. Esse é o projeto mais moderno que o Fida vai financiar no Brasil, voltado para desenvolvimento de negócios, vamos trabalhar junto às comunidades rurais, organizando grupos de negócios para que esses agricultores se organizem desde a produção até a comercialização. O objetivo é profissionalizar os agricultores para que formem pequenas empresas ou cooperativas e adentrem o mercado. Os critérios de participação dos agricultores no Projeto serão definidos. O primeiro passo é reunir prefeitos, secretários e comunidade. A ideia do projeto é gerar impacto na cadeia produtiva, agregando novos produtores,  gerando mais empregos e renda”, disse, acrescentando que os índices econômicos de Sergipe influenciaram para a aprovação do projeto pelo Fida.“O fato de Sergipe ter uma economia em expansão e políticas públicas voltadas a para a inclusão foi importante para a implantação do projeto. O Fida analisa o desempenho do estado em políticas para erradicar a pobreza e o projeto vai atuar em municípios pobres”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


*