A apresentação de uma emenda impositiva de R$ 100 milhões para a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), iniciativa da bancada de Sergipe (parte das emendas ao Orçamento da União para 2017), foi alvo de críticas do deputado estadual Zezinho Guimarães. O parlamentar sugeriu que senadores e deputados federais de Sergipe procurem o relator do orçamento e alterem a proposta, encaminhando os recursos para a construção do Hospital do Câncer.
Zezinho Guimarães disse que a morte de uma paciente, em Sergipe, por causa da interrupção no tratamento contra o câncer, causou celeuma e mostra a necessidade de apoio para a obra do hospital. O deputado disse que esteve reunido com a secretária de Saúde para discutir o assunto. “O dinheiro para a construção do hospital (R$ 35 milhões) está em conta, mas o Tribunal de Contas da União deu um ‘garrote’ no Estado. Para começar as obras só tem trinta e cinco milhões e a contrapartida de Sergipe será de mais de sessenta e cinco por cento”, destacou.
Segundo o deputado, o governo estadual não possui recursos suficientes para assumir a contrapartida da obra da unidade especializada. “Por isso faço um apelo para que os deputados e senadores. Há tempo para modificar a emenda impositiva da Codevasf, que não precisa, tem um orçamento maior que o de muitos ministérios. Isso é um feito inusitado”, comentou. Zezinho lembrou o fato de que a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, foi indicação do senador Antônio Carlos Valadares.